the vow // one '

  bem, finalmente consegui vir aqui e postar o primeiro capítulo. tenho algumas coisas a dizer, só para terem uma ideia mais concreta.

 

primeiro de tudo, devo dizer que só divulguei o blog uma vez e provavelmente nunca mais o vou fazer, odeio fazê-lo (e sim, não faz sentido dizer que odeio e depois fazê-lo) mas foi mesmo só para ter pelo menos duas visitas iniciais, mesmo que deixe de ter comentários e leitores ao longo do desenvolver da história, vou continuar a postá-la sempre que possível e nunca mais divulgarei o blog, mas obrigada a quem tirou o tempo de vir aqui e comentou e vai, também, comentar agora.

seguidamente, devo, também, dizer que eu já muito raramente escrevo em português, em termos de fanfics e one shots, etc. para mim é muito mais fácil (não que não goste nem saiba expremir-me em português), mas por diversas razões, é-me muito mais fácil escrever em inglês, até me soa melhor e menos "foleiro", mas eu também amo português e já sentia saudades, é de certa forma um desafio para mim, um desafio que coloquei a mim própria e espero evoluir nesses termos, pois, mesmo conseguindo pensar bem, por falta de treino e isso às vezes surgem-me dificuldades em exprimir ou escrever aquilo que sinto para papel, e, apesar de amar inglês, não quero perder essa capacidade em português também.

quero, também, agradecer a quem está a ler isto, estou-me a alongar um pouco mas é mesmo por ser o primeiro capítulo / primeiro post. nos futuros capítulos não devo fazer muitos comentários, depende também da minha disponibilidade, mas (se alguém estiver a ler isto) prefiro dizer já tudo já, se não me esquecer de nada, a ir dizendo aos poucos.

e, finalmente, já relativamente à história... eu tenho noção da base da história, sei alguns tópicos que quero abordar e sei o enredo principal. mas isto é tudo improvisação, eu não sei que rumo a história irá tomar, nem sei se irei saber até chegar mesmo o fim, e também, obviamente, não sei que duração terá a fic. é possível que tenha dez capítulos, é possível que tenha vinte, etc. de qualquer forma, tudo o que vocês leram hoje é uma base para a história, eu estou a partir deste momento para ter um ponto de partida bem definido. a história não é nada como relatar o casamento de duas personagens, ou whatever. é, simplesmente, uma história que, a meu ver, exige um evoluir constante e eu escolhi o dia do casamento como ponto de partida. espero que mais à frente eu consiga dar uma boa nterpretação à história, e, como já disse em cima, evoluir. se houver alguém que leia e esteja a pensar seguir, agradeço desde já e espero mesmo que gostes e que te entretenhas nos minutos que demorares a ler cada capítulo, espero que sintas que vale a pena perder minutos do teu dia a ler o que eu escrevo.

quero, também, dizer que se, provavelmente agora não haverá necessidade de o fazerem, mas no futuro, se tiver leitores claro, e houver necessidade de me contactarem poderão usar links que eu coloquei na barra lateral, estarão sempre lá e alguns deles eu visitarei mais frequentemente que a sapo, se bem que não estou constantemente online, também. poderão também pedir messenger ou facebook, eu não gosto de andar por aí a dar, por isso não coloquei na barra lateral, mas penso que o facebook ou o tumblr serão os links mais directos para me contactarem, visto que quando tenho oportunidade de ficar online encontro-me bem mais frequentemente nesses dois sites. bem, penso que não me esqueci de nenhum dos tópicos que queria abordar e enfim, isto ficou enorme, por isso se acompanhaste até aqui... obrigada, és uma pessoa de coragem x) obrigada mais uma vez e espero que gostes do primeiro capítulo. (:

 


 

"declaro-vos, agora, marido e mulher..."

 

nathan envolveu sophie nos seus braços e puxou-a para ele, unindo os seus lábios aos rosa e suaves de sophie, sorrindo

 

"pode beijar a noiva" o padre murmurou já tardemente, sorrindo, vendo os ex-noivos a selar o facto, mediante de toda a sua família e amigos

 

sophie sorriu e afastou-se de nathan, guiando uma mão à sua face, acariciando-a "eu amo-te" ela sussurrou, aproximando-se do seu marido, beijando-o uma vez mais "sempre.." murmurou sophie sobre os lábios de nathan, permanecendo de olhos fechados

 

nathan soltou um sorriso e beijou a testa da sua mulher, levantando-a do chão graciosamente, tomando-a nos seus braços "sempre., respondeu nathan, enviando-lhe um sorriso travesso, assim que se começou a dirigir para o exterior da igreja, onde já se localizava a maioria dos convidados, esperando os noivos para lhes poder atirar com o tradicional arroz e pétalas de flores

 

sophie soltou um riso envergonhado, vendo todas as pessoas observando-os e envolveu os seus braços à volta do pescoço do homem que a transportava até à limusine, observando todos os seus traços, apercebendo-se do quão feliz estava, agora que era oficialmente a "mulher" do homem da sua vida, algo que ela nunca pensou que iria acontecer. 'parece que os contos de fadas afinal até são verdade' pensou sophie, segundos antes de nathan a colocar cuidadosamento dentro da limusine, entrando rapidamente a seguir

 

o homem de vinte e quatro anos observou a mulher sentada a seu lado, sorrindo à medida que descia cada centímetro do longo vestido branco, voltando a dirigir o seu olhar para cima, encontrando o azul quase hipnotizante, mais azul que o céu e no entanto mais transparente que a água, e mordeu o seu lábio inferior, colocando o seu forte braço à volta dos ombros do frágil corpo da atraente mulher, plantando um beijo suava no topo da sua cabeça "amo-te...", sussurrou, entrelançando os seus dedos com os de sophie

 

sophie sorriu, ligeiramente virando a sua cabeça para dar um beijo no peito do seu marido, descansando a sua cabeça sobre o seu peito. segura. sophie sentia-se, e sente, segura nos braços de nathan "e eu amo-te" sophie respondeu, acariciando-os os nós dos dedos da mão do seu marido, sorrindo. sophie fechou os seus olhos e inspirou, inalando o cheiro dele, cheiro sem o qual ela já não podia viver "amo-te tanto...", repetiu, trazendo a sua mão livre à camisa de nathan, apertando-a na sua palma, aninhando-se o melhor que podia no seu colo, tentando ao máximo não estragar o seu vestido de noiva

 

nathan fechou os seus olhos, mantendo sophie o mais perto de si possível e abanou a sua cabeça afirmativamente, guiando os seus dedos de cima para baixo e de baixo para cima, acariciando a pele descoberta, no braço de sophie.

 

---\\----\\----\\-----\\-----\\----\\----\\---\\----\\----\\-----\\-----\\----\\----\\---\\----\\----\\-----\\-----\\----\\----\\---

 

lucas abraçou nathan e afastou-se novamente, sorrindo "então, como é que estão a ser estas primeiras horas como homem casado?"

 

nathan sorriu e olhou em sua volta, observando os convidados que estavam entretidos a falar entre si ou simplesmente a apreciar o que restava da refeição, dando uma sacodidela leve sobre o braço de lucas, seu melhor-amigo e, obviamente, seu padrinho "acho que vou pedir o divórcio", disse, com um tom de voz alto, de forma a que sophie, que estava neste momento a falar com os seus pais, ouvisse e soltou um riso, vendo sophie a virar a cara na sua direcção, fazendo-lhe uma careta "é perfeito, lucas" nathan disse, entretido, voltando-se para lucas de novo

 

vanessa, aparecendo do outro lado do salão do copo de água, deu um soco no braço de nathan, brincando "se eu fosse a sophie de certeza que te dava o divórcio, nem esperava pela lua de-- okay, faria-lo depois da lua-de-mel" acrescentou, libertando um riso, parando junto a lucas, entrelaçando o seu braço com o dele

 

nathan riu-se e piscou-lhe o olho "ela já não pode viver sem mim", disse, libertando um suspiro irónico "enfim..." acrescentou, rapidamente colocando o seu braço em torno da cintura de sophie, puxando-a para perto de si, beijando-a suavemente

 

sophie sorriu e piscou o olho a vanessa, colocando o seu pequeno braço à volta da cintura de nathan "acho que hoje vou ligar ao liam a ver se ele quer-me entreter na minha lua-de-mel, assim poupo trabalho aqui ao nathan", disse rindo-se, torcendo a sua cabeça ligeiramente de forma a apontar para o seu marido

 

nathan soltou um "ah ah ah" e aproximou os seus lábios dos cabelos de sophie, beijando a sua cabeça suavemente "já estivemos a falar melhor"

 

"oh, não amua não", disse, trazendo uma mão à face de nathan puxando-a para si, beijando os seus lábios ao de leve "então, e o vosso casamento, para quando é?", disse sophie, olhando para ambos lucas e vanessa, após enviar um sorriso para nathan

 

lucas trouxe uma mão para a sua boca, tapando-a, enquanto tossia, engasgado "uh..u-uh..."

 

vanessa enviou um olhar ameaçador a sophie e, tentando esconder as suas bochechas rosa coradas, começou a afastar-se apontando em duas direcções distintas "eu preciso.. ali, ir.. fazer, coiso. xau"

 

sophie desmanchou-se a rir, voltando-se de novo para nathan, vendo lucas a afastar-se também "gosto tanto de os fazer sofrer" confessou, descansando as suas mãos sobre o peito de nathan, sorrindo

 

nathan soltou um riso barulhento e envolveu os seus braços à volta da cintura de sophie, puxando o seu peito para o dele, beijando-a "pronta para ir de lua-de-mel e aturar-me durante três semanas?", perguntou provocando-a

 

"nunca estou pronta para te aturar... mas enfim, que remédio, só me deixas ir para o hawaii se fores atrás, por isso.. tem de ser" sophie disse, libertando um suspiro

 

nathan riu-se e enrolou os seus olhos "ai que vai ser tão dificil, não é?"

 

"nem tu sabes o quanto", respondeu sophie, rapidamente beijando nathan, afastando-se alguns segundos depois "mal posso esperar... obrigada, nathan. nunca desistas de mim, por favor..."

 

nathan sorriu, passando os seus dedos na face de sophie e colocou um fio de cabelo por detrás da sua orelha, beijando-lhe a face "nunca..."

→ stavwithme às 19:55